domingo, outubro 02, 2005


setembro, as cores murmurando flores [amarelas quando crescem por dentro das manhãs. brancas se as nuvens passeiam nos olhos. vermelhas com o suor das brincadeiras de rua. cinzas, quando você partiu. azuis, no meu peito vago - flores azuis do azul da solidão]

8 comentários:

Adriana disse...

A imensidão azul. A liberdade é azul. É, gostei do azul da solidão.
Gostei das cores que pintastes para cada situação. Poeta gênio. Bjs

Celso disse...

um belo uso das cores no teu texto. o triste azul desenhando dores e refletimdo lágrimas.

Saudações do Cárcere

Alê disse...

Agora sou toda cor...
Como seu texto...
Bjo!

Alê disse...

Nick Drake ja embalou vários posts meus...
Bjo!

Clarice disse...

Bela definição de cores primaverís ainda que triste.

Fernando Rozano disse...

A primavera é assim, cores, azuis, tons alegres, mas tristes em essência. Daqui a pouco se despedem, enquanto no outono e inverno são promessas. abs.

Valéria disse...

há sempre uma borboleta ou outra no meio das flores...mesmo das azuis...

marcia cardeal disse...

Flores azuis estremecem o caminho. Não há atalho pra dor.