quarta-feira, julho 17, 2019




fosse amor não haveria
tanto vazio para respirar
tanto chão e pouco voar
fosse amor não haveria
o sol nascente
pondo-se entre nós

quarta-feira, março 20, 2019

a alma não guarda

não aquieta

a alma não escuta ou diz

[é arremedo]

lugar qualquer sobre o qual repousa

deus

e danam-se nossos escombros

domingo, março 03, 2019

teus olhos de chuva

girassóis manhã afora

meu alvorecer

acalento

lugar bom para sonhar

como se a vida fosse seixo miúdo

passarinho voando sem tempo para voltar 

[ninho]

peito nu

solidão pelo avesso

quinta-feira, fevereiro 07, 2019






silêncio

[entranhas]

lugar 

inerte

resiste

solidão

domingo, janeiro 06, 2019


eu sou chuva
mas o ontem chegou desaguado
e da quaresmeira fez-se cinza
primavera que voltará
desbotando girassóis
avesso do desavesso do que é amor
[abandono à flor da pele]

terça-feira, outubro 09, 2018


desnuda a carne 

somos vultos

arremedos vicejantes de um deus qualquer, 

mal disfarçamos nossas certezas

vis



ocupamos o tempo de pessoas como nós

sufocadas como nós

amarguradas como todos nós

que não soubemos

amar

sábado, julho 21, 2018




naufragar de ti
todas as memórias
paisagens
coisas afins


afundar sem ti
toda a dor
sofreguidão
perdas sem fim


[até o fim]