quarta-feira, janeiro 04, 2006



CANTIGA DAS VOZES BRANCAS
- NICOLAS, O QUE NÃO SABE FALAR -





não há mais bosque

na minha rua

nem mesmo anjo


solidão

10 comentários:

hfm disse...

Belo.

Dona Estultícia disse...

Tristemente belo. E silencioso. Bjos.

Valéria disse...

minhas ruas têm sido iguais... um beijo

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Oi!

Gostei.

Amélia disse...

Lindo, Douglas!

Cristiano Contreiras disse...

Há sempre doces esperanças!

Betty Branco Martins disse...

Olá Douglas

Li algo bastante interesante sobre a silidão.

TRECHO DE UMA ENTREVISTA DE CHICO BUARQUE, ONDE ELE DEFINIU "SOLIDÃO"•

”Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo... Isso é carência!

Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar... Isso é saudade!

Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes para realinhar os pensamentos... Isso é equilíbrio!

Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente... Isso é um princípio da natureza!

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... Isso é circunstância!

Solidão é muito mais do que isto...

SOLIDÃO é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma."

E como diz o Cristiano: Há sempre doces esperanças!

TUDO DE BOM PARA TI - QUE SEJA MARAVILHOSO O ANO 2006.

Beijinhos

Fernando Rozano disse...

Há muito não tenho mais rua. Ficou o sl dess solidão em minhas cicatrizes. Abraços.

Celso disse...

e ladrilhamos com estiletes o caminho do futuro, poiso que sangra permanece.

pura beleza aqui, Douglas.

Adriana disse...

Solidão
... solidão de não ter bosques ou anjos dentro da alma
... Cidade despovoada dentro do peito

Bjs.