domingo, fevereiro 04, 2007


sob a mudez do amanhecer
adormecem anjos caídos:
em suas pequeninas mãos
sombras empoeiradas
vagam destinos
descrentes em nós

11 comentários:

Nirton Venancio disse...

caro Douglas, que texto poético você escreveu sobre as coroas de flores no meu blog! Valeu!
Tô indo agora nas suas páginas, destilar as imagens e os textos, calmamente...
Um abraço!

marcos pardim disse...

quando um anjo é tomado pela descrença, não lhe resta outra coisa que não seja a queda...
sigo tuas letras, meu caro. 1 abraço

Bia disse...

Todo anjo descrê. E volta, sempre. Nisto se faz anjo.
beijo pra vc.

Valéria disse...

um anjo é uma pessoa que desacredita e acredita de novo...

Mão Branca disse...

Oi.
Tem novo ebook de poesias no site
www.maobranca.xpg.com.br
ou no blog
www.maobranca.blogspot.com

O livrinho é composto por 32 poemas melancólicos, anárquicos e ateus (tudo de bom, hehehe), tratando de forma simplória a desesperança que assola nossa geração.

Está em PDF para impressão. De grátis.

diovvani mendonça disse...

Descrer é melhor. Desata nós.
AbraçoDasGereis.

Unattached disse...

Acho incrivel conseguires manter tantos blogs ao mesmo tempo com esta qualidade. Impressive.
Fica bem

tb disse...

Sempre bela a tua poética, Douglas.
Beijo

Ana Maria disse...

Um pensamento
um pensador
letras
um leitor
qualidade
um hummm
palavras
escritas obrigada

casoual disse...

Vêm ter connosco em círculos,
investem no mais íntimo
e vermelhos ficamos
em castelos de poros.
Nada está perdido
quando tudo está perdido.
Abraços.

ana maria costa disse...

himmm já cá vim vomitar.

rsrs