segunda-feira, outubro 23, 2006


deus
suas entranhas escondem
um louco enfezado
arrastando pesados grilhões
trancafiando anjos insones
costurando em nossas bocas
preces encardidas
para todo o sempre
maldito seja
amém

10 comentários:

Leila Lopes disse...

o caos habita reféns, inúmeros de entranhas cegas.
Bjs, d.

Janaína Calaça disse...

O homem precisa se descobrir finito, se descobrir sem um depois para viver o que tem que ser vivido, arriscar, deixar a mornidão e a imagem pintada em dourado e azul deste céu que é só céu e nada mais.

Abraços

Janaína Calaça

Vássia Silveira disse...

Maldito seja/para todo o sempre/amém: as preces encardidas, as bocas costuradas,os anjos trancafiados (nas entranhas enfezadas de deus).

Cristiano Contreiras disse...

da insanidade de cada um e da vida cotidiana...

Fernando Rozano disse...

Ou, quem sabe, bendito seja... Abraços.

Fernando Rozano disse...

Ou, quem sabe, bendito seja...Abraços.

tb disse...

somos nós que construímos nossos deuses...

Rubens da Cunha disse...

Hilda Hilst disse: "deus é um cavalo de ferro colado à futilidade das alturas". acho que vcs concordam :))
sempre saio daqui cheio de surpresas

Anônimo disse...

Perfeito teu poema. Intenso. Gostei muito mesmo.

kuneski

http://kuneski.zip.net

? disse...

Sim... Maldito quem se empoleirou nas nuvens e nos deixou com toda a bosta do mundo...