sexta-feira, outubro 27, 2006


a cada dia passado
adiantávamos o fim
ou não éramos
jovens demais
às marcas do tempo
em nossa pele
buscando refúgio e ilusão?

2 comentários:

miope disse...

olá!
aquela luz é um OVNIL?
OVINIS são legais, pena que fazem ruídos...

Janaína Calaça disse...

O homem foi aprisionado pelo desejo e pelas inúmeras manifestações satélites: esperança,ilusão, sonho. O desejo é que movimenta o homem, que o afasta da quietude, da morte. É ele quem aprisiona neste movimento contínuo em direção ao nada. E seguimos com os olhos embaçados e cheios de sede por um oásis pintado em madeirite.

Beijos

Jana