segunda-feira, junho 12, 2006


escreve um adeus que seja um adeus-círculo
um adeus-azul
um adeus-poesia

escreve um adeus sem dor e sem distância
um adeus que nos faça ausentes da perda
livres da amargura e do pesar

[esse pesar desalmado que toma posse da gente
quando não temos mais o entricheiramento do quarto para nos abrigar]

escreve um adeus-mentira
um adeus-silêncio
um adeus que nos dê colo
feito álbum de fotografias posto sobre a mesa da sala vazia

escreve um adeus que não saiba durar
escreve um adeus com letras de giz
um adeus invertebrado e inconsistente
um adeus-mentira que seja possível de apagar

7 comentários:

reflexoes depois disse...

UM ADEUS POSSÍVEL DE APAGAR...
AH, POR VEZES EU O DESEJO..
BEIJOS

Claudio Eugenio Luz disse...

Cheio de possibilidades!!!

hábraços

tb disse...

está na nossa mão escrevê-lo!...
Beijos

m.t. disse...

um adeus breve
de esperar na janela
para ver voltar



beijo!

Rubens da Cunha disse...

Mais um belo exemplar da raça.
abraços
rubens

Valéria disse...

o adeus não se apaga...ele fica ali em algum lugar...mesmo quando ele acaba.
um beijo

Lidiane disse...

Há mesmo silêncio nas imagens daqui.
Dá pra "ouvir".