domingo, março 19, 2006


Felicidade.
Você pode tê-la?
Senti-la?
Digeri-la?
Ruminá-la?
Trata-se de especulação, somente.
Estou no meio da tarde e é domingo e você nunca esteve aqui
[meus livros e discos sentem falta das tuas imaginárias impressões]
Estou projetando algum sentido neste vazio desocupado de ti
[minha redenção alcança o ponto mínimo nas madrugadas, distantes]

Felicidade.
Você pode sabê-la?
Reconhecê-la?
Habitá-la?
Percorrê-la?
Trata-se de um homem só, silente.
Estou a traçar planos de escape e álibis e verdades desossadas, é isso.
[cheguei um pouco tarde, a chuva já tinha passado e Belém respirava sem mim]
Estou a simular o teu sorriso esparramando vida nos meus olhos, tristes
[minha insensatez prolifera sonhos quando a dor me rouba as tuas cores]

Felicidade.
Você pode suportá-la?
Sustentá-la
Alimentá-la?
Sobrevivê-la?
Trata-se de um caso único, eu.
Acolchoando as paredes eu isolo o mundo lá fora e deixo tudo menor do que o é.
[sobras de sentimentos percorrem as linhas do meu destino na contramão]
Adormecendo os girassóis não precisarei das tuas manhãs clareando meus dias.
[sou um espantalho fincado no centro desta ciranda esquecida no tempo]

12 comentários:

Nina Delfim disse...

Bravo!
Bravíssimo!

Bjos

marcia cardeal disse...

Habitar a felicidade e conseguir traduzi-la, eis a questão...quando estamos tão acostumados a doer. Um beijo no seu olho bonito.

pedro pan disse...

, de ruminâncias de a felicidade, meus olhares percorrem todo o texto. os questionamentos de felicidade não surte respostas assim. felicidade...
|abraços meus|

Claudio Eugenio Luz disse...

Após dúvidas e questionamentos, o peso da felicidade pode ou não tornar-se um fardo.

hábraços

claudio

tb disse...

Eu te digo poeta, não assentes tua felicidade no teu exterior...
Um abraço

Adriana disse...

Perfeito! Lindo! Mais que perfeito!
Já se tornou um dos meus preferidos!

Bjs

PS: Sinto falta dos seus comentários no meu blog! A Fábrica não está a todo vapor, mas ainda está produzindo...

Menina_marota disse...

A felicidade... mas o que é a felicidade?

Perguntam-me se sou feliz.
Eu respondo, estou em Paz comogo própria e com os outros...

Sou feliz?

Olho em meu redor, vejo a infelicidade do Mundo, olho para mim e, respondo:

Como posso ser feliz?

Um abraço e faça tudo para ser feliz... ;)

Menina_marota disse...

Ressalvo; onde se lê "comogo" deverá ler-se comigo.
As minhas desculpas pelo engano :)

Marilena disse...

Do blog da Marcia vim parar aqui e fiquei feliz com o que encontrei. Lindos e sensíveis poemas. Abraço-os.

Anônimo disse...

[chover no molhado]

Dona Estultícia disse...

a felicidade tem o peso da coisas abstratas. bjo.

Warum Nicht? disse...

melancolia tropical!
na minha ignorância, só a via brotando entre brumas e garoas, num clima temperado...
excelente!
um abraço!