domingo, junho 29, 2008


palavra – sementeira
germina verbos
(ecos)
no ventre
oco
(rabisco em azul)

cicatriz do silêncio

6 comentários:

Valéria disse...

palavra é o que (des)preenche o silêncio...
beijo

Adriana Costa disse...

Enigmático! E que bela imagem!
@>--

Fernando Rozano disse...

a palavra nunca silencia, embora o silêncio esteja no ventre (oco, muitas vezes)do pensamento. instigante.

Rubens da Cunha disse...

vim aqui retribuir a não adjetivação :)
abraços
Rubens

Adriana Costa disse...

Amigo Douglas,

Por ter sido indicada agora indico o seu blog e estes outros, se aceitarem, para usar o Selo "Prêmio Dardos" em sinal de admiração pela contribuição literária e cultural dos mesmos.
Visite meu blog e veja na barra lateral como salvar o selo e as regras do prêmio.

Flores para todos! @>--

mataharie007.blogspot.com/
almadepoesia2007.blogspot.com/
dolugardemim.blogspot.com/
encostadomar.blogspot.com/
vomitandoimagens.blogspot.com/
eros-tics.blogspot.com/
poesiangolana.blogspot.com/
amorsemedo.blogspot.com/
sergiofranck.blogspot.com/
viapoese.blogspot.com/
poemargens.blogspot.com/
poesialilazcarmim.blogspot.com/
venezadebrasileiros.blogspot.com/
www.olhosdefolhacintiathome.blogspot.com/
labirintodosoledalua.blogspot.com/

marcia cardeal disse...

Palavra-dormideira às vezes escorrega pela fresta da noite para fazer sol.Beijo, menino.