quinta-feira, junho 12, 2008

no olho
– paisagem



dilacerado por cores



atravessa-me
o alvorecer



respingando poesia

7 comentários:

delusions disse...

tudo sao olhos dentro de nós. e poesia, ainda que as minhas mãos não sejam de poeta, sei ler esses traços de luz nas janelas.



Sofia*

Adriana Costa disse...

Olá Douglas,
não sei se te lembras de mim de outros blogs, estou sempre num vai-e-vem no blogspot, mas nunca deixei de visitar a tua página (desde 2005) e de linká-la nas minhas, pois admiro muito a tua arte =D e nem peço permissão... rss
Seja sempre bem vindo ao mais novo "Versos Bárbaros"
Beijos @>--

Ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luciana Marinho disse...

por dentro do céu o olho fresta. azulzim em mim.

=)

Fernando Rozano disse...

é quando o p&b chega, como sombra, e revela nossos contrastes na poesia. abraço, Douglas.

Lu Bezerra disse...

afff.. como sempre.. as melhores estão por aqui =]
ei.. volta logo! o/

José Rodrigues (JR.) disse...

tudo nos atravessa, nos afeta: cada palavra dita ou silenciada; cada abraço ou aperto de mão; cada sentimento guardado; cada sonho abortado; cada luz da manha; cada barulho no quintal; cada filme na tv; cada rosto desconhecido; cada espaço da cidade; cada acorde no violão. pois é, um ceu azul é sempre mais do um aglomerado de nuvens brancas multiformes sobre um fundo azulado, tantas são as intensidades expressas na natureza, bem como, em cada verso escrito e cada passo dado.
eu tambem tenho um blog, chama-se Experimentando Versos.Nele eu publico algumas de minhas poesias. faço o convite: um dia desses, se vc quiser, faça uma visita:

http://experimentandoversos.blogspot.com/

um abraço,