domingo, novembro 12, 2006

no céu deserto
pela fé mesquinha dos homens
andorinhas escapam
INCANDESCENTES
mergulhando na dormência do sol

8 comentários:

Ivã Coelho disse...

Suas iamgens grudam nas retinas, vou dormir com elas, mas não vou me assustar, ao revés, irei sonhar.

Abçs, poetamigo.

marcos pardim disse...

este teu poema tocou em uma imagem/cena que já fez morada eterna em minha memória. por isso, tem cheiro, tem cor, tem burburinhos etc. 1 abraço

tb disse...

sim... e nós com elas.
Jinhos, poeta

Sol disse...

Ao contrário que imaginas, o sol não dormia, apenas ficou por uns dias mais pertinho do céu.

Maya disse...

então volte sempre - e seja bem-vindo!

Jofre Alves disse...

Ao contrário do que sugere o título que diz estar «vomitando imagens», estas são perfeitas, lindas, duma apreciável estética, que torna este blogue deveras interessante e agradável. Para visitar mais vezes. Parabéns.

Vássia Silveira disse...

Viram estrelas cadentes, as andorinhas...

Unattached disse...

Ao ler vi fogo a cair do céu. E gostei.