sábado, setembro 23, 2006


alcanço mais um ano
esfarelo a esperança
impedindo-me de alcançar
o rastro do poente
as sobras de rio
[hoje, sou um rabisco no caderno de desenhos
que nas mãos de menino
outrora fiz nanquim]

sepultadas as cores
poesia transparece medo
diante da morte fielmente postada ao nosso lado
sabedora de que deus nem sempre está
disposto a ocupar-se de nós
[hoje, inicio um ciclo há muito planejado
pra nos escombros do homem
imperar a indiferença]

12 comentários:

Fernando Palma disse...

"nos escombros do homem
imperar a indiferença"... Isso é trágico e bonito... Gostei muito dessa foto, não imagino como foi possível fotografar assim. Muito bom.
.
[]´s!

Tempestade disse...

Espantalhos mambembes, fantasmas indisfarçáveis, venham! Apareçam!
Arco-íris acinzentados, carrosséis despedaçados, faísquem e girem enlouquecidos! Brilhem!
Em tudo haja movimento perpétuo de luz e cores! Há uma festa acontecendo, não vêem?
Em Belém, um anjo de asa quebrada e olhos tristes desafia os deuses implacáveis que querem envolvê-lo com a capa rude e enrugada da senescência e morte!
Venham! É para ele a festa!
À sua frente, o abismo indecifrável da vida está aberto!


...quero te festejar

Celso disse...

belo poema, principalmente a segundas parte. feliz aniversário, poeta.

sds

Ivã Coelho disse...

O fascínio das sombras nos alcaça perene, sempre descobrimos outro escombro no vazio que nos informa ao mundo. Somos sempre outros refletidos nas sobras de um rio qualquer rio que nos ocorre corrente.

Abçs poeta, sempre inefáveis as suas imagens.

Lidiane disse...

Ás vezes me escondo na falta de cor, mas... acho que você, como eu... tem asas coloridas.

Beijos.

Cristiano Contreiras disse...

És o ciclo vital da vida.

evandro disse...

bem legais af fotos, bem originais... parabens!

abs

diovvani disse...

morte
postada
plantada
no dna

A certeza do mergulho no mistério assusta.

Abraço das Minas.

hfm disse...

Gostei.

tb disse...

belo e forte como sempre. Parabéns caro poeta! (eu fiz uma semana antes)
Beijos

Rubens da Cunha disse...

grande poema,
tempo sem vir aqui,
continuas me dizendo muito
abraços
Rubens

朝川栄一 [Asakawa Eiichi] disse...

to acompanhando... isso é bom, heim!