domingo, abril 30, 2006


eu preciso de um tempo
eu preciso aprender a fingir
que a vida é exatamente isso tudo
que eles dizem que é
eu preciso mentir
e enganar o que sinto
eu preciso do silêncio das ruas desertas
eu preciso da mudez dos corações desamados
eu preciso dos sorrisos fáceis
e da falsa felicicidade das manhãs sem girassóis
eu preciso encontrar um caminho bem longe daqui
eu preciso enterrar minhas memórias
e descrer na felicidade
porque é assim que funciona
porque é assim que ouvi dizer
porque é assim que está ecrito
num livro que me recuso a ler
e que todas as madrugadas que contigo viverei
e que todos os caminhos que contigo andarei
e que todos os sonhos que contigo singrarei
fiquem longe de mim
fiquem longe daqui
porque eu não suporto tanta perda
porque eu desaprendi a chorar
porque eu desaprendi a esconder o que sinto
porque eu te amo
porque eu te amo
porque eu decreto aqui
que o espantalho
agora tem músculos que nada pulsam
e olhos que nada vêem
e mãos que nada tocam
e um sorriso estranho
que a tudo espanta
menos o vazio
e a tristeza imensa
desse amor
que disseram morrer
e que comigo levarei
nem que seja sozinho
na desfronteira da vida
no lugar exato
onde habita a dor.
*
aos que aqui aparecem
aos que aqui vomitam
calarei por um tempo
é preciso
eu preciso.
vez por outra estarei no amores fúnebres
ou no eu, espantalho...

8 comentários:

reflexoes depois disse...

Bela escrita mas mentir nunca... JAMAIS!! BEIJOS

tb disse...

Apesar do vazio que fica...o amor primeiro!
Aqui voltarei.
Beijos

Claudio Eugenio Luz disse...

Ainda asssim, todo o tempo não seria suficiente para a gente colocar no lugar certas coisas.

fortehábraços

claudio

Fernando Rozano disse...

Douglas, fazes a vida escorrer em cada palavra escrita, é esta é a tua maior verdade. Abraços.

marcia cardeal disse...

Teu silêncio grita. um beijo.

[jb] disse...

te dou um tempo
mas nao te dou o meu silêncio.
eu respiro o mesmo ar que você.

existimos, ou não é mais assim?

[jb]

CeciLia disse...

Silencio. Em respeito e dor. Tuas palavras sangram. Sangramos junto. Toma teu tempo, há coisas que jamais curam.

Beijo, poeta da letra que grita.

reflexoes depois disse...

AINDA QUE NÃO CONCORDE COM TUA REAÇÃO, A ACHEI LINDA...RS
UM ABRAÇO FORTE E UMA BOA SEMANA PARA NÓS! BEIJOS