domingo, abril 16, 2006


ESBOÇO EM GIZ

era deus, calado
ausente na fundura dos lamentos
nos livros espalhados pelo quarto
na porta entreabrindo iluminuras
[era eu, menino
nas sobras de março
tardias e desfiguradas
por este abril minucioso
que agora começa
a me mastigar]

5 comentários:

tb disse...

Só existe o tempo que quisermos...

claudia disse...

um tempo que enquanto mastiga...gospe ao mesmo tempo...

e a gente vai desavisado...

gostei...



http://leve.zip.net

Fernando Rozano disse...

O tempo, sempre ele a nos mastigar aos poucos e em cada pedaço nossa vida se reinventando e espantando tristezas. abraços.

mitro disse...

tô gostando... acho que você é um menino grande!

Rubens da Cunha disse...

Perfeito.
quero pra mim.
abraços
Rubens