segunda-feira, novembro 02, 2009


ao carlos besen


I

dissera a cor do primeiro silêncio

ter nascido da chuva

e que toda chuva é feita de lágrimas

e que cada lágrima sepulta um sonho

porque deus negou aos anjos

o sorriso
.

II
.
entendes agora

o canto que encerro em meu peito

o adeus que maltrapilho em meus olhos

os pássaros que inverno em meus ossos

o desmundo que me enraíza

ao medo?
.



11 comentários:

Angela disse...

que poesia linda, belíssima. Você tem o dom das imagens poéticas e as reparte, fico muito grata!

Lisa Alves disse...

versos de um adeus, lindo!

CeciLia disse...

Um suspiro.

Lindo poema. Lindo!

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Perfeitamente...

Rubens da Cunha disse...

mais um para suspender o leitor ao limite do aceitável... belíssimo

Mara faturi disse...

Eu?? pasmada diante deste poema...
MARAVILHOSO...assim, em maiúcula; PASMADA tb em maiúscula;)
bjo

Í.ta** disse...

belíssimo, belíssimo.

perfeitos versos.

parabéns!

Valéria C. disse...

eu entendo... mas não queria.
beijo

clarice ge disse...

entender não ameniza... nem explica o inexplicável... mas ao menos consegues colocar em palavras..
já eu, só consigo calar.
carinhos pra ti

tb disse...

e eu enendo perfeitamente também. duplamente.
Dos teus versos belíssimos realça a poesia para cantar até as mais agruras da vida.
Ler-te é sentir o rio que corre.
abraço, amigo

tb disse...

errata: entendo perfeitamente...