segunda-feira, agosto 03, 2009

I

quantos há de mim
se não sou meu próprio musgo
as águas barrentas deste rio
que me navega a esmo
quando desisto de sonhar?

[meu corpo é erosão...]


8 comentários:

Alex disse...

erosão? faz essa luz lunar abrir o resto e tudo volta a ficar liso e perfeito em superfície. :)

Tina disse...

Oi Douglas!

Perfeita sintonia.Linda foto, lindo verso.

beijo,

Katherine. disse...

Golpeando

CeciLia disse...

Quantas há de mim quando te leio e sei tão bem... quantas há?

Há braços

CeciLia

Anônimo disse...

oi d..adorei!! [saudades].. bjo

gabi

Valéria C. disse...

esta frase final, vc já sabe, vou roubar...
gostei muitíssimo!
beijo

Luciana Marinho disse...

"meu corpo é erosão". e a alma?

(meia lua inteira)


abraço.

Maeles Geisler disse...

erosão da falta, da falha cravada e recolhida no escuro.

Abraços

sou sua leitora