domingo, junho 28, 2009


outra noite
aborto ao máximo a chegada do sono
digitando palavras a esmo
[ou simplesmente]
sentando em frente ao monitor

- as costas doem
os olhos pesam...

sem que nada desocupe
a certeza de ser o amor uma coisa vazia
e que teu sorriso aqui e acolá
é desmemória infectada pela dor
.

2 comentários:

CeciLia disse...

ah, como sei disso tudo! Sei tanto que não digo mais nada: apenas sei.

Abraço,poeta

omargot disse...

Costas doloridas e olhos pesados: sina de poeta maldito. hehe

Abraço!