sábado, março 14, 2009

I
à sombra do homem
respiro-me árvore
raiz no solo do medo que sou

II
reconheço-me no murmúrio distante
dos pássaros que entre a aurora e a tristeza
em busca de abrigo aqui chegarão

3 comentários:

Alex disse...

Lindíssimos.

marcia cardeal disse...

Porque eu fico sem fala quando venho aqui, por isso venho sempre. beijo

Diana Borges disse...

Antes das palavras aprecio as imagens. Gostei do título od blog.

Voltarei.. ;*