domingo, janeiro 27, 2008

II

a culpa nas mãos dos homens
ei-la aqui, envelhecida
arrastando sua carcaça pela casa
desmemoriando em minhas entranhas
o caminho a ser proscrito




malograda e importuna
reconhece meus assombros
transfigura-me em rancor
e repete a si mesma
distante de mim
infortúnios




você dirá que eu mesmo a possuo e sombreio
mas dela refugio-me porque todo homem precisa descrer
em algo ou alguém assim tão límpido




nela sou o nexo




dela, minha escuridão

6 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

escuridão????


só vejo claridades.


intertexo causal de sombras iluminadas!


pois é...é o que vejo.


Vim do JB (Caixa de Ressonância) que lhe deixou um desafio....já viu?


abraço. cordial.

Lilian disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lílian disse...

Douglas "D" de "dado", que bom vê-lo por lá. Voltei à ativa, atualizei os links e mantive o seu endereço.
Abraço.

Luciana Marinho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luciana Marinho disse...

demorei um pouco para chegar aqui porque foram muitos os caminhos rs parabéns por tanta produção. particularmente, amei as imagens deste blog em interação harmoniosa com as palavras!

até breve!

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Olá!

Passando por aqui...


*CC*