terça-feira, julho 06, 2010


ao roberto piva
.
queria-me poesia
feito alguém fugido da morte
tua sílaba de nervo a sugar-me a língua
[menos deus que um incessante equívoco]

7 comentários:

líria porto disse...

ellenismos me deu o caminho, cheguei aqui - já o coloquei entre os favoritos...

abração

nina rizzi disse...

maravilha, menino, maravilha!!!

beijos.

Maeles Geisler disse...

estive aqui

a sugar-lhe a poesia

abraços
maeles

tb disse...

Douglas,
É difícil expressar em palavras todo o encantamento que as tuas me fazem sentir.
Beijos querido poeta

Cássio Amaral disse...

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU!!!!!

Dispa-me, Senhor. disse...

Sucção poética invadindo toda a anatomia. Os espamos do corpo ao ler a junção das sílabas que formam o corpo dessa poesia que umedece em cada lambida da retina. Incrível o tato dos teus poemas. Aliás,coisa que atinge realmente todos os sentidos.

Katherine.

gua leika disse...

adorei seu blog.