sexta-feira, maio 01, 2009

fragmentos de um livro por vir



TOMO I

(AURORA)


a carne
fez o verbo
– signo tempestuoso –
saliva e carvão


.

.

e vieram sombras
[e por dentro das sombras]
restos de luz
tecidos aos pares
impossíveis de sustentar


.

.

dobradura, o tempo
rabiscou eternidade
donde fugiram pirilampos


assim fez-se a primeira aurora
prenhe de céu
tecelã distraída do mar

6 comentários:

Alex disse...

parece um ótimo livro. :) espero que venha logo.

Butterfly disse...

adorei a foto tambem...

Valéria disse...

Douglas!
isso está maravilhoso! talvez o mais belo de todos...
beijo

Mara faturi disse...

Belíssimo poema;Gostei imensamente, vou salvar no meu arquivo: Poemas bárbaros de autores diversos;)
bjo

Ádlei Duarte de Carvalho disse...

Realmente, um belíssimo trabalho!!

Parabéns!

tb disse...

será um dia verá a luz do dia? :)
Sempre bom de ler tua excelente poesia.
beijinhos