quinta-feira, março 21, 2013



ao rubens da cunha

deste sangue que me habita,
o  homem que não fui é vestígio e escape.

há muito comungo a danação dos incontidos,
eles são-me deus.

a morte é o aporte que me funda,
minhas virtudes, um amanhã feito de ossos.

Nenhum comentário: